fbpx

ACNE

A acne, conhecida popularmente por espinhas, é uma afecção dos folículos sebáceos e é mais comum no rosto, tórax e costas. É bastante comum na adolescência, mas pode ocorrer na vida adulta também. Nas mulheres, após os 25 anos chamamos de Acne da Mulher Adulta (em 20 a 40% das mulheres). Na menopausa é rara (cerca de 5-15%) e está associada com a flutuação dos níveis de hormônios típica deste período (há aumento de FSH, que estimula os ovários a produzirem andrógenos, sem a produção de estrógeno que existia antes, estimulando a secreção de oleosidade pela glândula sebácea).

Existe uma tendência hereditária da acne, sendo transmitida por genes autossômicos dominantes. Se o seu pai e a sua mãe tem acne, a possibilidade de você ter acne é de 50%, sendo a gravidade variável.

Fatores que contribuem com a formação da acne são distúrbios da queratinização folicular e a hipersecreção sebácea. O desenvolvimento das glândulas sebáceas ocorre na puberdade pela ação dos andrógenos, principalmente a testosterona e seus derivados. A hipersecreção da glândula sebácea pode ocorrer por 2 mecanismos. O primeiro mecanismo, menos frequente, ocorre por aumentos dos andrógenos circulantes , como acontece na síndrome SAHA (Seborréia, Alopécia, Hirsutismo, Acne), na síndrome de Cushing, em síndromes virilizantes e por uso de hormônios androgênicos. O segundo mecanismo, acontece por ação periférica dos andrógenos nas glândulas sebáceas, estimulando a secreção. A pele com acne tem capacidade de transformar testosterona em deidrotestosterona (que é o hormônio ativo) em uma taxa superior à da pele normal. 

Bactérias também têm papel no desenvolvimento da acne, sendo a principal Cutibacterium acnes (antigamente Propionibacterium acnes). Outros fatores envolvidos são má alimentação (principalmente ingestão de alimentos de alto índice glicêmico, como arroz branco, macarrão, pão, massas e doces em geral), estresse, poluição, sono não reparador, tabagismo, medicamentos (principalmente corticóides) e limpeza do rosto de forma errada (ou não remover a maquiagem).

A piora da acne no período pré menstrual é referida 85% das pacientes com acne. Este é o único período do ciclo menstrual que a progesterona estabelece níveis superiores ao do estrogênio, sendo este último protetor para a acne. A progesterona aumenta a oleosidade, vasos sanguíneos na pele e inchaço local. Com isso, ocorre inflamação das glândulas sebáceas e piora da acne. 

As lesões de acne podem ser pápulas (bolinhas vermelhas), pústulas (bolinhas de pus), nódulos (popularmente chamados de “espinha interna”), comedos abertos (cravos pretos) e comedos fechados (também chamado de cravo branco, são bolinhas amareladas ou “miliuns”). O tratamento precoce evita a formação de cicatrizes. 

O tratamento vai depender do tipo de lesões que o paciente apresenta, sendo muitas vezes realizados em associação. São eles:

  • Tratamentos tópicos (produtos em gel ou creme para aplicar na pele em casa)
  • Medicamentos por via oral (antibióticos, isotretinoína, antiandrogênicos)
  • Peelings químicos
  • Limpeza de pele, com extração dos comedões
  • LED de luz azul e vermelha
  • Terapia fotodinâmica
  • Luz intensa pulsada
  • Infiltração de medicamentos nos nódulos de acne

CRM 139.086 / RQE 46.415

R. Iguatemi, 354. cj 91 – Itaim Bibi
São Paulo, SP. CEP: 01451-010

R. Comendador Eduardo Sacab, 215. cj 115. Brooklin Paulista- São Paulo, SP.
CEP: 04601-070
Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
Rolar para cima
Abrir WhatsApp
1
Olá! 😉
Como posso te ajudar?